Autor: Barreto, Domingos Alves Branco Muniz
Título: Memória sobre a abolição do comércio da escravatura
Editor: Rio de Janeiro : Typ Imparcial F Paula Brito, MDCCCXXXVII [1837].
Data do documento: 1837
Descrição Física: 46 p. : 18,5 x 12 cm
Resumo: Embora essa obra tenha sido escrita nos anos 1810, sua circulação e seu consumo se ligam aos debates sobre o contrabando negreiro que políticos imperiais travaram a partir de 1835. Abolido por um tratado internacional desde 1830 e proscrito por uma lei nacional desde 1831, o tráfico vinha recobrando o apoio de fazendeiros, comerciantes e deputados, ao que reagiram diversos letrados e políticos antiescravistas. Dividida em cinco partes, a Memória serviu ao interesse dos primeiros, pintando o continente africano como lugar natural da escravidão, historiando medidas da Coroa portuguesa favoráveis ao tráfico e inferindo, de sua extinção, a estagnação da agricultura, o declínio do comércio e a falência das rendas do Estado. Ao final, o autor propôs a restrição do poder senhorial sobre a alforria e mencionou fontes alternativas de mão-de-obra, entre elas imigrantes europeus e colonos africanos. (Resumo elaborado por Tâmis Parron)
Tipo: Folheto
Idioma: Português
Direitos: Domínio público
Palavras-chave: Escravidão - Séc. XIX - Brasil
Escravos - Brasil
Comércio negreiro - Brasil
Aparece nas coleções:Livros

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
001193_COMPLETO.pdf1,31 MBAdobe PDFDownload